sexta-feira , julho 21 2017

Unidades de conservação de Rondônia passam por processo de demarcação e sinalização

Os trabalhos de reaviventação dos limites das 40 unidades de conservação do Estado de Rondônia já estão sendo executados pelas duas empresas que ganharam a licitação. Segundo o coordenador de Unidades de Conservação (CUC) da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Ambiental (Sedam), Denison Trindade, inicialmente as empresas estão realizando vistorias nas Unidades de Conservação para apresentação de relatório e na segunda quinzena do corrente mês iniciarão o trabalho de reaviventação dos limites com colocação de placas e recuperação de marcos.

Projeto de Desenvolvimento Socioeconômico e Ambiental Integrado (PDSEAI) foi dividido em cinco lotes, dos quais quatro são desenvolvidos pela empresa Topo Sat do Mato Grosso e um lote pela empresa Terra Engenharia com sede em Rondônia. O projeto conta com recurso da ordem de R$ 1,8 milhão do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e Fundo Amazônia.

Denison Trindade explicou que a empresa Toposat é responsável pelos lotes 01,03,04 e 05, que compreendem as unidade de conservação localizadas às margens do rio Madeira e rio Machado, na região Norte do estado. Propriedades lote 01: Floresta Estadual de Rendimento Sustentado, Rio Madeira B (Fers), Floresta Estadual de Rendimento Sustentado, Rio Vermelho, Reserva Estadual Extrativista (Resex), Rio Preto Jacundá, Estação Ecológica Serra dos Três Irmãos, Área de Proteção Ambiental (Apa) e Floresta Estadual de Rendimento Sustentado, Rio Machado.

Lote 03, compreende as unidades de conservação localizadas na região Centro-Oeste do estado, onde estão localizadas a Floresta Estadual Sustentado Rio Pardo e a Área de Proteção Ambiental Rio Pardo. O lote 04, compreende as unidades de conservação localizadas na região Oeste do estado, que compreende as unidades de conservação onde estão localizados o Parque de Guajará-Mirim, Reserva Biológica Rio Ouro Preto, Reserva Biológica do Traçadal, Reserva Estadual Extrativista Pacaás Novos e a Reserva Estadual Extrativista Jacy Paraná. O lote 05, compreende as unidades de conservação da região do Vale do Guaporé, onde estão localizadas as Reserva Estadual Extrativista Rio Cautário, Parque Serra dos Reis, Reserva Estadual Extrativista, Curralinho, Parque Estadual de Corumbiara e Reserva Estadual Extrativista Pedras Negras.

A empresa Terra Engenharia é responsável pelo lote 02, que compreende as unidades de conservação localizadas na região de Machadinho do Oeste, região Leste do estado, onde estão localizadas a Reserva Estadual Extrativista Angelim, Reserva Estadual Extrativista Aquariquara, Reserva Estadual Extrativista Maracatiara, Reserva Estadual Extrativista Massaranduba, Reserva Estadual Extrativista Seringueira, Reserva Estadual Extrativista Mogno, Floresta Estadual de Rendimento Sustentado Cedro, Reserva Estadual Extrativista Sucupira, Reserva Estadual Extrativista Castanheira, Reserva Estadual Extrativista Jatobá, Reserva Estadual Extrativista Piquiá, Reserva Estadual Extrativista Garrote, Reserva Estadual Extrativista Roxinho, Reserva Estadual Extrativista Freijó, Reserva Estadual Extrativista Ipê, Reserva Estadual Extrativista Itaúba, Floresta Estadual de Rendimento Sustentado Mutum, Floresta Estadual de Rendimento Sustentado Periquitos, Floresta Estadual de Rendimento Sustentado Tucanos, Floresta Estadual de Rendimento Sustentado Araras e Floresta Estadual de Rendimento Sustentado Gavião.

O coordenador Denison Trindade disse que o serviço de reaviventação consiste no levantamento dos limites já demarcados com a identificação das coordenadas e marcos existentes com abertura e limpeza de picadas finalizando com a instalação de placas informativas e sinalizadoras nas unidades de conservação. Há cada cinco quilômetros, segundo ele, será fixada uma placa de sinalização, onde consta o decreto de criação, limites e advertências para a população. As empresas vão cobrir uma área de cerca de 2.930 quilômetros de abertura e limpeza de picadas e instalação de 586 placas informativas e sinalizadoras.


Fonte:SECOM

Sobre Dario Bagalo

Leia também

ELOGIÁVEL – Conheça o primeiro vilarejo ‘autossustentável’

Holanda prepara uma cidade capaz de produzir energia limpa e de se abastecer com autonomia …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *