sexta-feira , maio 25 2018

Conheça a Associação Nacional de Pregoeiros

Por Aline de Oliveira / Sollicita.com.br


Idealizada em 2016, a ANPPME – Associação Nacional de Pregoeiros, Presidentes de CPL, Membros e Equipes de Apoio – teve sua situação devidamente regularizada em 2017, com o registro do Estatuto em Cartório e formalização junto a Receita Federal com a inscrição no CNPJ.

Dário Geraldo da Silva, pregoeiro, gestor público e vice-presidente ANPPME e contou em primeira mão para o Sollicita, que a associação nasceu em Rondônia e precisa se expandir pelo país para ter a força necessária para promover as ações voltadas para o interesse da nossa classe. “A fim de promover essa expansão estamos buscando novos associados pelo país e iremos nomear representantes por região para que possam representar a associação e desenvolver ações junto aos filiados. Acreditamos que o reconhecimento e a qualificação dos profissionais que atuam nas licitações são condições fundamentais para a busca da melhor contratação através da proposta mais vantajosa obedecendo aos princípios da legalidade e da eficiência, oportunizando assim a promoção de políticas públicas que contemplam os anseios da sociedade”, diz.

Confira a entrevista exclusiva:

Qual foi a necessidade vista para criar a Associação?

Dário Geraldo da Silva – Entendemos que toda classe para ser organizada precisa de representatividade e por está atuando há muito tempo na área de licitações conhecemos bem os problemas enfrentados pelas equipes que atuam nas compras públicas. Ao longo dos últimos anos passamos a manter contato com alguns colegas de profissão e fomos construindo uma proposta para suprir essa laguna que existe pela falta de reconhecimento desses profissionais, em especial a figura do Pregoeiro que vem fazendo a diferença nas licitações e não é uma profissão regulamentada.

É perceptível a falta de preparo de muitas equipes de licitações, fato este imposto por diversos fatores e consideramos como principais a falta de capacitação desses servidores, o reconhecimento da profissão e a valorização desses profissionais.

Não dá pra admitir que um setor tão crucial para o desenvolvimento das ações da administração pública seja tratado com tanto descaso e de forma irresponsável por parte de alguns gestores. Para não precisar remunerar melhor o agente das licitações os gestores preferem trocar a equipe e com isso o setor está sempre reiniciando praticamente do zero.

Com qual objetivo?

Dário Geraldo da Silva – Como a pretensão da ANPPME em ser a representante das equipes de licitações isso nos leva a ter como principal objetivo salvaguardar os interesses da classe e das demais pessoas que esteja ligadas direta e indiretamente com as compras públicas.  Para tanto propomos o aprimoramento e atualização constante desses agentes de que modo a torná-los capazes de forma eficiente e eficaz no desenvolvimento das suas atividades.

A associação pretende trabalhar para tornar oficial a profissão de pregoeiro e estabelecer um salário base para as equipes de licitações.

A evolução da legislação e dos entendimentos dos órgãos fiscalizadores e cortes trazendo impactos significativos nas atividades dos agentes de compras e é necessário acompanhar essa evolução. A situação política e administrativa do momento nos leva a refletir e avaliar sobre a condição dos agentes públicos, em especial aos envolvidos nas contratações. Não dá mais pra admitir que os gestores permitam que servidores despreparados atuem em setores que são essenciais para a administração. É necessária a exigência de capacitação mínima, não apenas um curso de poucas horas.

Nosso estatuto prevê apoio e orientação aos associados, especialmente na defesa dos seus direitos, o fornecimento de ajuda jurídica, orientação e auxílio nas atividades e a promoção constante da capacitação e aperfeiçoamento. Desta forma tomamos como bandeira a busca pela integração, capacitação e valorização da classe.

Quem pode se associar?

Dário Geraldo da Silva – Todos os agentes que fazem parte das equipes envolvidas com as licitações. Pregoeiros e equipes de apoio, presidentes e membros das CPL’s, Procuradores, Assistentes Jurídicos e demais departamentos como os setores de registro de preços e de compras. Isso está previsto no art. 9º do Estatuto da Associação.

Importante registra que o servidor mesmo que deixe de atuar nas licitações poderá continuar como associado, pois sabemos que ele estará vinculado ao processo por um longo período, podendo ser convocado a responder por ele.

A associação é livre tanto para os servidores efetivos quanto para os ocupantes de cargos em comissão.

O que é preciso fazer para se associar?

Dário Geraldo da Silva – Entrar em contato com a ANPPME através do e-mail: anppme@gmail.com e solicitar a ficha do associado, que depois de preenchida deve ser encaminhada para a associação. Será cobrada uma taxa a título de anuidade, que não é obrigatória, porém é exigência para garantir o exercício dos direitos pleno do associado.

Como a associação é formada?

Dário Geraldo da Silva – A associação é formada por uma diretoria que foi eleita em assembleia composta por presidente, vice-presidente, primeiro e segundo secretários, primeiro e segundo tesoureiros e Conselho Fiscal.

Presidente: Fernandes Lucas da Costa

Vice-Presidente Dário Geraldo da Silva

1º. Secretário Bruna Ribeiro Almeida

2º. Secretário Osias Paulo da Cruz

1º. Tesoureira Sirlene Vieira de Oliveira

2º. Tesoureiro Nelci Aparecida de Souza

Conselho Fiscal: Edvaldo Lopes Soares Júnior, Fátima Eliana Tome Michaltchuk e Alcides Fernandes Marques Junior e como suplentes Silmar Lacerda Soares, Andréia Martins Santos e Simara Camargo Pereira

Como você vê o reconhecimento dos pregoeiros atualmente?

Dário Geraldo da Silva – Assim como os demais membros das equipes de licitações a função do Pregoeiro não tem o reconhecimento merecido. Sabemos que com o advento da Lei 10.520/02 ficou simbolizada a figura do Pregoeiro, porém não houve preocupação em regulamentar essa função. A regulamentação da profissão do Pregoeiro é uma das nossas bandeiras e consideramos que seja imprescindível na gestão pública. Notadamente o pregoeiro passou a ser o grande responsável pelas licitações assumindo encargos que anteriormente cabiam ao presidente e membros das CPL’s e deixar de reconhecer isso é uma falha dos gestores que deve ser urgentemente sanada.

Outro ponto a considerar é que em muitos casos, especialmente nos municípios menores, o Pregoeiro assume toda a responsabilidade pela condução do processo licitatório, então é justo que um profissional com tamanha responsabilidade e tantas atribuições tenha o seu papel reconhecido e este reconhecimento passa pela questão financeira, pois o bom profissional precisa ser bem remunerado.

Em sua opinião quais são as maiores dificuldades e necessidades dos pregoeiros hoje?

Dário Geraldo da Silva – A principal dificuldade é a valorização. Quando falo em valorização incluo o oferecimento de mais oportunidades de qualificação e aperfeiçoamento, pois entendemos que isso deve ser constante. Incluo a oferta de condições reais para o desenvolvimento das atividades com o oferecimento de equipamentos em condições de uso, equipe de apoio também qualificada e suporte técnico para a tomada de decisões. A valorização do Pregoeiro também inclui o reconhecimento financeiro pelo seu trabalho, pois o Pregoeiro precisa ser um especialista em licitações que tem o dever de se aprofundar diariamente em estudos aos diversos objetos e serviços que precisa contratar.

Vejo que os gestores se preocupam com outros profissionais e se esquecem que praticamente tudo o que acontece na administração depende da atuação das equipes de licitações. Desta forma, não só o pregoeiro, mas todos que fazem parte desse processo devem ser valorizados e tratados com mais zelo pelos administradores.

Primeiramente temos que instituir de forma legal o cargo de pregoeiro.

Como uma associação pode ajudá-los?

Dário Geraldo da Silva – Na busca pelo reconhecimento da profissão, instituindo de forma legal o cargo de pregoeiro e buscando a definição de critérios de qualificação para o exercício da atividade. Incentivando a discussão de um projeto de Lei que defina um salário base para a categoria e promovendo a integração da classe assim como ocorre com outros profissionais.

A associação é muito nova e está apenas começando a promover eventos significantes no suporte e auxílio, não só aos pregoeiros como também aos demais associados. Temos como meta oferecer um suporte jurídico e técnico aos associados, de forma gratuita. Assim como também pretendemos realizar constantemente cursos e oficinas de qualificação e aperfeiçoamento.


Fonte: https://sollicita.com.br/Noticia/?p_idNoticia=11496&n=conhe%C3%A7a-a-associa%C3%A7%C3%A3o-nacional-de-pregoeiros

Por: Aline de Oliveira

Leia também

Decisão do STF impacta mais de meio bilhão de impostos em Rondônia

Aproximadamente quinhentos milhões por ano de impostos podem ser revertidos em créditos para empresas de …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *